Como configurar o tamanho dos ícones no Inkscape

Como configurar o tamanho dos ícones no Inkscape

Configurando o tamanho dos ícones no Inkscape

A interface do Inkscape é muito engessada e são poucas as opções de personalização se comparadas a outros programas como o Gimp.

Neste artigo vamos ver como configurar o tamanhos dos ícones das barras de ferramentas no Inkscape.

Aproveita e dá uma olhada:

Você vai poder configurar:
  1. A barra de ferramentas;
  2. A barra de opções das ferramentas;
  3. A barra de ferramentas de atração ou secundária.

Barras de ícones do Inkscape
Barras de ícones do Inkscape


Eu uso o Inkscape com o Layout de disposição para telas largas. Para configurar essa opção você clica no menu Visualizar e lá no final você encontra as 3 opções de configuração de layout de tela:

  • Disposição de Interface Padrão; 
  • Disposição de Interface Personalizada;
  • Disposição de Interface para Telas Largas.

Eu tô usando a última opção, Disposição de Interface para Telas Largas.
Layout de telas no Inkscape
Layout de telas no Inkscape


Para configurar clique no menu Editar opção Preferências.
Menu Editar - Preferências
Menu Editar - Preferências






No diálogo Preferências clique sobre a opção Interface.
Diálogo preferências - Interface
Diálogo preferências - Interface


Em Interface você vai encontrar 3 opções para configurar tamanhos de ícones:

  • Tamanho dos ícones na barra de ferramentas;
  • Tamanho dos ícones na barra de ferramentas atual, que são as opções das ferramentas;
  • Tamanho dos ícones na barra de ferramentas secundária, onde estão localizadas as ferramentas de atração.
Barras de ferramentas que podem ser personalizadas
Barras de ferramentas que podem ser personalizadas


Para cada uma dessas opções você tem quatros variações de tamanho:

  • Pequenino;
  • Pequeno;
  • Grande;
  • Maior.
Opções dos tamanhos dos ícones das barras de ferramentas
Opções dos tamanhos dos ícones das barras de ferramentas


Depois de escolher um tamanho, você deve reiniciar o Inkscape para ativar as novas configurações.

Na tela abaixo eu escolhi a opção Maior, para a barra de ferramentas, como exemplo.
Maior tamanho disponível nas opções de configuração de ícones, das barras de ferramentas do Inkscape
Maior tamanho disponível nas opções de configuração de ícones, das barras de ferramentas do Inkscape



Leia mais artigos sobre o Inkscape no Link abaixo:




Atalhos no Xubuntu

Atalhos no Xubuntu

O básico de atalhos no Xubuntu

O Xubuntu é uma distribuição leve, rápida e prática.

Começamos uma série onde abordamos o básico do Linux utilizando o Xfce. Se você ainda não viu o vídeo clica no link, assiste e se possível dê a sua opinião.

Devido a natureza da DE(Desktop Environment) utilizada, o XFCE, o Xubuntu é uma distro super customizável.

Você pode aproveitar mais ainda o Xubuntu se conhecer os atalhos básicos de teclado para abertura de aplicativos e gerenciamento de janelas.

Nesse artigo vamos te apresentar alguns.

Uma observação, as letras que fazem parte dos atalhos estão em maiúsculas para destacar o atalho. Elas são usadas em minúsculas.

Atalhos para aplicativos:
  • Super + E abre o editor de Textos Mousepad
  • Super + T abre o emulador de terminal Xfce-Terminal
  • Super + F abre o gerenciador de arquivos Thunar
  • Super + W abre o navegador web padrão, o Firefox




A tecla Super também é utilizada em combinação com números para abrir aplicativos:
  • Super + 1 abre o media player Parole
  • Super + 2 abre o gerenciador de mensagens instântaneas Pidgin
  • Super + 3 abre o Libre Office Writer
  • Super + 4 abre o Libre Office Calc

Lançadores de programas
  • Ctrl + Esc carrega o Whisker Menu
  • Alt + F1 carrega o menu de aplicativos popup
  • Alt + F2 carrega o Xfrun, a versão menor no Localizador de Aplicativos
  • Alt + F3 carrega o Localizador de Aplicativos

Gerenciamento de Janelas
  • Alt + F4 fecha uma janela
  • Alt + F5 maximiza horizontalmente uma janela
  • Alt + F6 maximiza verticalmente uma janela
  • Alt + F7 maximiza uma janela
  • Alt + F9 minimiza, esconde uma janela

Para finilizar a lista de atalhos:
  • Ctrl + Alt + Esc para matar a execução de um programa
  • Ctrl + Alt + D para exibir/ocultar a área de trabalho e esconder todas as janelas

Claro que existem muitos mais atalhos que esses, mas esses são os que eu uso com mais frequência no dia-a-dia.

Os atalhos podem ser configurados nas opções de configurações do teclado em Gerenciador de configurações -> Teclado.
Configurar atalhos de aplicativos
Gerenciador de configurações -> Teclado -> Atalhos de aplicativos


E também em Gerenciador de configurações -> Editor de Configurações -> xfce4-keyboard-shortcuts.
Editor de Configurações opção xfce4-keyboard-shortcuts
Editor de Configurações -> xfce4-keyboard-shortcuts


Existem também vários aplicativos que funcionam como lançadores e agregam outras funções práticas como calculadora e pesquisas na internet. Eu gosto muito do Synapse, ele pode ser facilmente instalado no Xubuntu através do comando:
sudo apt-get install synapse
Tela do Synapse
Tela do Synapse



Lembrando que não adianta decorar atalhos, eles só se tornam úteis conforme o seu cenário de uso o força a utilizá-los. Então nem pense em decorar mas sim em substituir as ações.




Linux Básico - EP - 01 - Distribuições

Linux básico - Começando com o Xubuntu

Linux Básico 01 - Distribuições

Esse é o primeiro episódio da série Linux Básico, hoje vamos falar sobre distribuições e conhecer o Xubuntu, um versão do Ubuntu montada sobre a DE, Desktop Environment, Xfce.
Neste vídeo vamos entender o básico do funcionamento do sistema, como executar programas e como funciona o processo de atualização.
Já conhece o nosso grupo no Facebook, o Design Livre Fortaleza? Dá uma olhadinha e se inscreve, vamos conversar e discutir sobre ferramentas, recursos, mercado e coisas legais. Link ai embaixo.
Grupo Design Livre - Fortaleza no Facebook.

Confere também o nosso EAD. Assinando o EAD você ajuda a manter o canal e ainda aprende um monte de coisas legais.
Ead - Livre Labs.







Corrigindo imperfeições em imagens com o Gimp - Ferramenta de Restauração

Artigo ferramenta de restauração no Gimp


Como corrigir imperfeições com o Gimp - Ferramenta de Restauração

A ferramenta de restauração no Gimp lembra em muitos aspectos a ferramenta de clonagem, mas o algorítimo usado é muito mais sofisticado e você pode encontrar mais detalhes sobre ele no artigo científico de Todor Georgiev, Image Reconstruction Invariant to Relighting, link para o artigo abaixo.


Você pode encontrar muita coisa legal sobre o Gimp visitando a nossa playlist com um total de 36 vídeos.


Uma coisa que tem que ficar muito clara é que restaurar não é clonar, ok? Dito isso, vamos ver como a ferramenta funciona.

Segue o link para a imagem usada:


No exemplo vamos remover a espinha do rosto da modelo.
Removendo espinhas com a ferramenta de restauração do Gimp
Clique sobre a ferramenta de restauração na barra de ferramentas.
Ferramenta de restauração
Escolha um pincel. Para esse caso eu escolhi um pincel com pouca difusão, a dureza padrão do pincel escolhido é 75. Um pincel com muita difusão não vai ajudar, lembre-se que a ferramenta de restauração não funciona como a ferramenta de clonagem, o seu algorítimo leva em conta a região onde os pixels copiados serão colados.




Escolhendo o pincel
Escolhendo o pincel

Ajuste o tamanho do pincel ao tamanho aproximado da área danificada. Você pode usar os atalhos "[" para diminuir o tamanho do pincel e "]" para aumentar o tamanho do pincel.

Para usar a ferramenta, pressione a tecla "Ctrl" e dê um clique sobre a área de amostra que deseja copiar.
Criando amostra a ser colada com a ferramenta de restauração
Criando amostra a ser colada com a ferramenta de restauração

Agora basta clicar sobre a área que se quer corrigir no nosso caso a espinha.
Colando a amostra com a ferramenta de restauração
Colando a amostra com a ferramenta de restauração

Esse foi o nosso resultado.
Resultado da aplicação da ferramenta de restauração
Resultado da aplicação da ferramenta de restauração

Lembrando que para atingir o resultado desejado você pode ter que dar mais de um clique ou pegar amostras de vários locais sobre a imagem. Tudo vai depender da complexidade da imperfeição que se deseja corrigir.




Efeito Vinheta no Gimp 2.10

Como fazer o efeito vinheta no Gimp 2.10

Como criar o efeito vinheta no Gimp 2.10

O que hoje conhecemos como um efeito, a vinheta, surgiu como um problema técnico devido a baixa qualidade das lentes em equipamentos fotográficos antigos.

O problema era caracterizado por uma entrada maior e consequente maior captura de luz sobre o filme a partir do centro, deixando os cantos com baixa recepção de luz.

As vinhetas são aquelas áreas escurecidas, desfocadas nas extremidades da imagem. As vinhetas podem ser escuras, estas são as mais encontradas já que acontecem naturalmente ou claras que são resultado do uso de filtros nos equipamentos ou edição digital.

Confira abaixo exemplos de vinhetas escuras e claras.
Exemplo de vinheta escura
Exemplo de Vinheta escura





Exemplo de vinheta clara
Exemplo de vinheta clara




Apesar de ser um erro o resultado acabou agradando de mode geral e concede a fotografia um charme a mais, desde de que bem utilizada.

O principal objetivo da vinheta é destacar o elemento principal da fotografia, a intenção é conduzir o olhar para esse elemento.

Nós já mostramos como criar o efeito Vinheta no Gimp 2.8, o link para o vídeo segue abaixo.

Aproveita e dá uma passada na nossa playlist de Gimp, lá você vai encontrar muita coisa legal, link abaixo.

Criar esse efeito no Gimp 2.10 ficou muito mais simples e personalizável, vamos ver o processo na prática.

Segue o link para imagem usada:
https://pixabay.com/pt/moda-mulher-bonita-mulher-chap%C3%A9u-2309519/

Com a imagem aberta no Gimp 2.10, clique no menu Filtros -> Luz e Sombra -> Vinheta.
Acessando o efeito vinheta no Gimp 2.10
Caminho para o Filtro Vinheta no Gimp 2.10

Surge na tela o diálogo de configuração do efeito.

Nele podemos escolher a forma da vinheta que por padrão é circular mas pode ser quadrada ou em diamante. Além disso podemos configurar o raio do efeito, a suavidade, a intensidade, a proporção, a abertura, o alinhamento e a rotação.

O efeito pode ser aplicado na camada ou seleção ativa.

A imagem abaixo ilustra o efeito com a configuração padrão.
Efeito vinheta aplicado no Gimp 2.10
Efeito vinheta aplicado


Não tenha medo de configurar e testar, você pode restaurar as configurações do efeito a qualquer momento clicando no botão Reset.

Boa edição.



3 Projetos do Google que talvez você não conheça

3 Projetos do Google que talvez você não conheça

3 Projetos legais do Google

Neste post a gente lista 3 projetos em que o Google está envolvido que tem tudo haver com arte, design, cultura e educação

Os projetos são:

  • Project Bloks;
  • Google Arts & Culture;
  • Open Hiratge em parceria com a CyArk.
Vamos conhecer melhor cada um deles, seus objetivos e características.

Project Bloks


O foco desse projeto de pesquisa do google é a educação, o ensino da programação através do desenvolvimento de uma plataforma de computação tangível.

Semelhante ao Scratch, mas com blocos reais, onde você separa, combina e produz resultados interessantes com objetos físicos, objetos reais.

Dá uma olhada no vídeo do projeto para entender melhor o conceito.






Google Arts & Culture

Projeto Google Arte e Cultura iniciou seus serviços em 2011 e a ideia é bem simples, permitir que você visite coleções de arte, museus e locais históricos, virtualmente.

O Google Arts & Culture é muito bem organizado e a navegação pelo acervo é muito fácil, ele utiliza a tecnologia do Street View para permitir os passeios virtuais.

Infelizmente o acervo do Museu Nacional não faz parte do Google Arts & Culture, e ai fica implícita outra ideia do projeto, a preservação através da digitalização.

Parada obrigatória para quem aprecia arte e cultura de modo geral.

Vídeo do projeto.



O Open Hiritage é um projeto da CyArk em parceria com o Google, onde o principal objetivo é a preservação de locais e monumentos históricos através do leitura e digitalização 3D.

Muito da história da humanidade se perdeu pela ação de desastres naturais e mais recentemente por guerras e atentados, com a digitalização podemos ao menos ter uma ideia de como os locais e monumentos preservados foram.

Vídeo do projeto.