Básico do Terminal - Comandos man, pwd e ls

14:10



Esse é o primeiro vídeo de uma série sobre como usar o terminal no Linux.

A série não tem a pretensão de se tornar um curso sobre o terminal, mas sim de ajudá-lo a conhecer os comandos e ações mais úteis do dia-a-dia.

Neste vídeo você vai conhecer o man, o comando pwd e o comando ls(list).




Man:
O man é o manual do sistema onde quase todos os comandos estão documentados. Para usar o man basta que você digite: man + o comando desejado, por exemplo man ls.


Para se movimentar dentro do arquivo da manpage você pode usar seta para baixo e para cima ou a roda mouse, para sair basta teclar a letra "q".

Caso o man do seu sistema não esteja em português basta instalar o manpages-pt e o manpages-pt-dev.

No Ubuntu você pode facilmente fazer isso com: sudo apt-get install manpages-pt.

Ctrl+l é o atalho para o comando clear, que limpa a tela. Teclando a seta para cima podemos navegar nos comandos digitados, isso agiliza e evita erros de digitação, usando a seta pra cima vamos completar o último comando com um -dev e dar um Enter para instalar.



Comando pwd:
O primeiro comando que vamos ver é o pwd, esse comando serve para que você saiba onde se encontra na estrutura de diretórios(ou pastas) do sistema.

Para usá-lo basta no terminal digitar pwd e dar um Enter. Como resposta você tem o caminho onde se encontra, como estou na minha pasta de usuário(a pasta pessoal) ele exibe: /home/marcello.


Simples assim, quando precisar saber em que parte da estrutura de diretórios você se encontra, digite pwd.

Comando ls:
O comando ls ou list, lista arquivos e diretórios de um local.

Normalmente quando o terminal é aberto o local em que você vai estar é na sua pasta pessoal, digite ls para listar arquivos e diretórios dessa pasta.

O resultado é uma lista com todos os arquivos e diretórios, menos os ocultos.

Caso você tenha que rolar a tela por sua listagem ser muito grande, fonte grande ou resolução e tela pequena, você pode usar Shift+PgDown ou Shift+PgUp. O botão do meio do mouse também permite a rolagem da tela.

Os comandos podem aceitar opções que ampliam ou filtram sua execução. Por exemplo se quisermos além dos arquivos e pastas que acabamos de ver, exibir também as pastas e arquivos ocultos basta usar o ls dessa forma: ls -a.


Arquivos ocultos em distribuições Linux são precedidos de um ".", vocẽ deve ter visto na listagem ls -a dois diretórios "." e "..", eles são chamados de diretórios implícitos e fazem  referência ao diretório atual e ao diretório pai.

A opção l exibe a listagem de forma detalhada informando o modo e as permissões, número de ligações, nome do proprietário e do grupo, tamanho do arquivo em bytes, data e hora da última modificação e o nome do arquivo ou diretório.

Como ler o tamanho em bytes nem sempre é muito legível, podemos usar o opçao "h" que deixa a leitura em um formato mais fácil para humanos, então ficamos com K, M e G, indicando Kilo, Mega e Giga.

Então o comando ficaria assim: ls -lh.


Para exibir a listagem dos nomes em uma única coluna experimente ls -1.

A opção -r inverte a exibição da listagem e -t exibe pelo tempo de modificação.

Sempre consulte o man para conhecer e testar mais formas de executar os comandos, você também percebeu que é possível mesclar as opções dos comandos, obtendo assim resultados mais satisfatórios.

-------------------------------------------------------------------------------
Clique aqui para assistir ao vídeo!!

Você também pode gostar desses posts

0 comentários

Like us on Facebook