Terminal Básico 4 - Ferramentas Nano, Vim, Top, Htop e Ranger



Transcrição do vídeo: Terminal Básico Vìdeo 04 - Ferramentas
Duração: 02:40



Nem só de comandos vive o terminal você também pode usar alguns utilitários que estão pré-instalados em quase todas as distribuições. Além disso você pode instalar versões mais incrementadas dessas ferramentas.

Neste vídeo vamos falar de editores de texto, ferramentas de monitoramento do sistema e Navegadores de arquivos.

Um dos mais conhecidos e simples editores de textos do mundo linux é o Nano, junto com o Vi, que não é nem de longe simples de usar, vem pré-instalado em praticamente todas as distros. Para usar o Nano basta no terminal digitar nano e dar um Enter, a tela de edição fica disponível de imediato e você tem a lista de atalhos na base do terminal, com todas as operações disponíveis. Onde você encontrar um acento circunflexo leia como a tecla Ctrl, então Ctrl+x sai do Nano, Ctrl+o grava e assim vai.




O Vi assim como o Nano também vem pré-instalado porém seu uso não é simples o Vi foi criado por Bill Joy em 1976 também ano de criação do editor Emacs, já sua versão melhorada o Vim, que precisa ser instalado foi criado em 1991 por Bram Moolenar.

Tanto o Vi quanto o Vim são editores modais, eles trabalham no modo normal, modo de inserção e modo visual. Cada um com suas particularidades e funções.

Apesar de leves e super configuráveis sua curva de aprendizagem é considerável e diferente do Nano necessitam de um pouco de prática para se tornarem usávies. Porém levando em conta a relação custo benefício, investir na aprendizagem do Vim e do Vi vale muito a pena.

Top é uma ferramenta que oferece uma série de estatísticas sobre o sistema ele já vem assim como o Nano e o Vi pré-instalado, uma evolução do Top é o Htop que apresenta uma visão mais sofisticada das estatísticas além de permitir o uso do mouse para selecionar processos.

As duas ferramentas permitem uma visualização do consumo de Ram e de CPU além de informações gerais do sistema, tais como os processos com maior atividade, número de tarefas em execução, tempo de uso e usuários logados.

Gerenciadores de arquivos são muito comuns nas interfaces gráficas tais como o Nautilus no Gnome e o Thunar no Xfce, mas não são uma exclusividade da mundo gráfico e existem ótimos gerenciadores de arquivos em modo texto, entre eles o Ranger. Facilmente encontrado nos repositórios das distribuições. Para usar basta depois de instalar digitar Ranger no terminal, de imediato 3 colunas tendo a esquerda a sua pasta home surgem na tela, você pode navegar usando as setas do teclado ou usuando as teclas de navegação do Vim. Com o Ranger você também pode fazer buscas, visualizar arquivos e abrí-los, entre outras operações.

Essas ferramentas são muito eficientes e simples de usar, dedicar um pouco de tempo ao seu estudo pode torná-lo um usuário melhor e mais capacitado.






ImageMagick - Tratamento de Imagens Via Terminal


O ImageMagick  é uma suite de aplicativos para edição não interativa de imagens. Com ele você vai poder editar, converter e combinar imagens de vários tipos diferentes.

O ImageMagick é multiplataforma e conta com versões para Linux, Windows e Mac OS. Você pode baixar os fontes e instalar diretamente no seu computador ou pode usar o repositório da sua distribuição.

Segue abaixo uma relação de links úteis. 

Para trabalhar com o ImageMagick devemos abrir o terminal. Para nosso exemplo abrimos o terminal e navegamos para uma pasta chamada Testes, dentro da pasta Imagens

Nela vamos encontrar as imagens:
cachorro-1, -2 e -3.jpg e gato-1, -2 e -3.jpg.



Comando Convert
Convert realiza conversões de tipo, tamanho, resolução e cor entre outras operações em uma imagem.

  • Converter uma imagem jpg em png:
    convert gato-1.jpg gato-1.png

  • Converter uma imagem para 50% do tamanho:
    convert -resize 50% cachorro-1.jpg cachorro-1-metade.jpg

  • Converter uma imagem em tom de Cinza:
    convert cachorro-2.jpg -modulate 100,0 cachorro-cinza.jpg

  • Converter para um tamanho específico:
    convert -resize '800x600' cachorro-3.jpg cachorro-3-800.jpg


Comando Mogrify
Semelhante ao Convert ele pode ser usado para mudar o formato de várias imagens ao mesmo tempo. Nos dois exemplos abaixo, as imagens orginais são mantidas.

  • Convertendo todas as imagens da pasta de jpg para png:
    mogrify -format png *jpg

  • Passando um caminho diferente para as imagens convertidas, onde convertidas é a pasta criada:
    mogrify -path convertidas -format png *jpg

Comando Idenfify
Identify é um comando que mostra detalhes da imagem e com ele você pode conferir algumas modificações feitas com os comandos convert e mogrify.

  • Para usar digite:
    idenfify gato-3.jpg

    A saída é parecida com resultado abaixo.

    gato-3.jpg JPEG 1920x1080 1920x1080+0+0 8-bit sRGB 650KB 0.000u 0:00.000

Screenshots
Você pode usar o ImageMagick para tirar screenshots.

  • Para testar digite:
    sleep 3; import -window root tela.png

Essas são pequenas amostras do que o ImageMagick é capaz de fazer. Não deixe de consultar a documentação para maiores detalhes.

Vídeo em breve.






Flat Design com o Inkscape - Desenhando uma Árvore


Eficiência e minimalismo são as palavras de ordem quando se fala em Flat Design ou Design Plano. Tendo como pricipal e mais importante influência o Estilo Suíço, conhecido também como Estilo Tipográfico Internacional, sendo o estilo de Design dominante nos anos 40 e 50.

O Estilo Suíço também foi responsável pelo surgimento de uma das fontes tipográficas mais conhecidas e usadas da história, a Helvética.

O Inkscape nos permite criar de forma fácil e prática várias formas de Flat Design. Neste post vamos criar uma árvore utilizando entre outros a intersecção de formas.

Para começar desenhe um Círculo na tela e pinte-o com uma tom de verde sem contorno. Para fazer isso use a Ferramenta Elipse com a tecla Ctrl pressionada.




Selecione o Círculo e clique na Ferramenta Caneta Bézier, na Barra de Ferramentas de Atração, ative o botão Alinhar à Caminhos, essa opção corresponde a sétima opção da Barra.


Aproxime a Caneta Bézier da parte de cima do Círculo próximo ao centro, clique e com a tecla Ctrl pressionada clique na parte inferior do Círculo e execute o traçado semelhante ao da imagem abaixo. Em seguida pinte-o de verde em um tom mais escuro.


Duplique o Círculo e em seguida selecione Círculo e Caminho, clique no Menu Caminho opção Intersecção, atalho Ctrl+*. Se preciso ative o Painel Preenchimento e Contorno teclando Ctrl+Shift+F e regule a opacidade da forma. A copa da árvore já está pronta


Com a Ferramenta Retângulo desenhe o tronco e com o mesmo procedimento usado para o Círculo, a copa da árvore, edite o tronco para duas tonalidades de marrom ou laranja, uma mais clara e outra mais escura.


Agrupe a copa da árvore e depois o tronco, agora ative o Painel de Alinhamento teclando Ctrl+Shit+A. Envie o tronco para baixo da copa e se preciso faça ajustes no tamanho. Pronto, temos nossa árvore em Flat Design. Segue na imagem abaixo o esquema de cores usado.


Vídeo em breve.






Criando uma ilustração de ligar pontos com o Inkscape


Transcrição do vídeo: Criando uma ilustração de ligar pontos com o Inkscape
Duração: 02:00




Com a Extensão Numerar Nós é possível criar caminhos númerados no Inkscape e assim podemos fazer atividades do tipo ligar pontos com as ilustrações, como essa da imagem abaixo.

Para esse exemplo eu vetorizei a imagem da baleia e o seguemento destacado em verde é o que vai servir de base para a criação dos pontos.

Eu preferi cobrir a parte que eu tinha vetorizado, mas se você quiser você pode durante o processo de vetoriazação criar todos os nós, eu acho confuso trabalhar assim e acabei fazendo em duas etapas.

Para começar por segurança, vamos duplicar essa camada, então no Painel Camadas clique com o botão direito sobre a camada e escolha a opção Duplicar Camada Atual, mude seu nome para ilustração.

Bloquei e oculte a visualização da camada abaixo.



Crie uma nova camada acima de todas, é nessa camada que vamos criar os pontos, mude seu nome para pontos.

Selecione a Ferramenta Caneta Bézier e começe a criar o caminho sobre o trecho destacado, como a idéia aqui é criar os pontos de referência para serem cobertos, você não precisa trabalhar de forma tão precisa sobre o caminho.

Quando o traçado estiver pronto volte para Ferramenta de Seleção e clique no Caminho, depois dê um clique no Menu Extensões opção Visualizando Caminho e por fim em Numerar Nós.

No diálogo você pode configurar o Tamanho da Fonte e dos Pontos, definir por qual ponto deseja começar e qual o valor de salto na contagem de um ponto para outro. Quando terminar de configurar clique no botao Aplicar.

Após o processamento o caminho desaparece e no seu lugar surgem os pontos numerados em sequência na ordem estabelcida.

Delete então o caminho em destaque na camada ilustração.

Você ainda pode desagrupar o resultado para realizar configurações e ajustes que necessitar






Criando o Efeito Halftone com o Gimp


Transcrição do vídeo: Criando o efeito halftone no Gimp
Duração: 02:00



Usando os filtros do Gimp podemos facilmente aplicar o efeito Halftone a uma imagem. Em um vídeo anterior eu mostro como criar esse efeito utilizando o Inkscape.


A imagem escolhida para o efeito deve estar em tom de cinza ou você pode desaturar a imagem. Neste exemplo vamos ver esse processo.

Link do manual do Gimp sobre o plugin Retículahttps://docs.gimp.org/2.8/pt_BR/plug-in-newsprint.html



Com a imagem aberta no Gimp duplique a camada e clique no Menu Cores opção Dessaturar, no Diálogo escolha a opção Luminosidade e clique no botão Ok para aplicar.

Como os pontos do efeitos são de cor preta pode ser uma boa idéia dependendo da imagem que você está usando, clarear um pouco a foto. Vamos fazer isso no Menu Cores opção Curvas. No Diálogo arraste a linha para cima e para a esquerda, isso vai deixar nossa imagem mais clara. Em Tipo de Curva deixe como Suave e clique no botão Ok para aplicar.

A imagem está pronta para o efeito. No Menu Filtros clique na opção Distroções e na opção Retícula. No diálogo que surge você pode configurar entre outras coisas o tamanho da célula, no meu caso ficou em 16, a opção de tela que pode ser RGB, CMYK ou Intensidade, Intensidade foi a minha escolha.

Observe que o ângulo dos pontos e seu formato podem ser configurados para cada canal de cor no caso de RGB ou CMYK, em Intensidade temos uma única opção.

No meu caso deixei o ângulo em 16 e a Função de Ponto como Circular.

Configure o Anti-Serrilhamento para o valor máximo. Feito isso clique no botão Ok. O efeito é aplicado após o processamento.

Teste as configurações do Filtro e lembre-se que os resultados são fruto de tentativa e erro. As configurações podem mudar radicalmente dependendo da imagem e objetivo.





Tipografia: A voz da sua arte!

A Tipografia (do grego typos — "forma" — e graphein — "escrita") é a arte e o processo de criação na composição de um texto, física ou digitalmente. Assim como no design gráfico em geral, o objetivo principal da tipografia é dar ordem estrutural e forma à comunicação escrita - By Wikpedia, link: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tipografia

Não se pode negar a importância do processo tipográfico na escolha do que pode ser definido como a voz da sua arte gráfica. Como tudo o que é o importante não basta apenas definir a tipografia para entendê-la, assim como no estudo das cores existe muito mais para se entender no que podemos observar.

Bem dito isso vamos começar nossa série sobre tipografia. O objetivo assim como no estudo das cores é dar aquela noção e o devido aprofundamento sobre o assunto. Para começar vamos tratar de forma simplificada de um dos assuntos mais comuns e usados por todos os que trabalham com artes gráficas ou digitais no dia a dia. A classificação das fontes(ou tipos).



A maioria dos tipos podem ser classificados em um dos quatro grupos básicos:

Serif: As serifas são os pequenos traços e prolongamentos que ocorrem no fim das hastes das letras.











Sans-Serif: Sem serifas são conhecidas como sans-serif (do francês "sem serifa"), também chamadas grotescas (de francês grotesque ou do alemão grotesk).






Cursivas: Cursivo é o nome que se dá a qualquer estilo de escrita manual projetada para a agilidade na escrita.











Decorativas: fonte artística e atraente além de diferentes, fáceis de usar, no entanto são limitadas e indicadas para títulos e marcas.









A classificação dos tipos é muito mais complexa que isso, ela leva em conta a formação dos estilos, período histórico entre outros fatores.

A descrição que usamos é um micro resumo do Sistema ou Classificação Vox, publicada originalmente em 1954.

Analise e consulte as fontes citadas além da Wikipedia para dar um bom início aos estudos.

Fonte:




Usando Fontawesome no Inkscape


Transcrição do vídeo: Usando Fontawesome no Inkscape
Duração: 01:57


Aproveite e visite a playlist de vídeos sobre Inkscape

Font Awesome é uma forma de usar ícones sem a necessidade de imagens em um projeto web, mas você também pode usá-los em projetos gráficos no Inkscape.

Links para o FontAwesome:
http://fontawesome.io/
http://fontawesome.io/cheatsheet/


Como os ícones do Font Awesome são fonts, vamos no Inkscape poder tratá-los da mesma forma, mudando suas propriedades de preenchimento, contorno e tamanho. Além de podermos converter em caminho e usarmos o ícone com mais liberdade.




No site fontawesome.io, faça o download das fontes e copie o arquivo FontAwesome.otf para o sua pasta .font, caso não exista você pode criá-la. Com isso temos a font instalada no sistema. Mas seu uso é um pouco diferente.

Para não ter que trabalhar o tempo todo online você pode imprimir em um pdf a página fontawesome.io/cheatsheet, assim vamos ter sempre no computador a listagem dos ícones.
Abra o Inkscape e a página com a listagem dos ícones, para usá-los basta selecionar o ícone desejado, selecione a imagem e não o código Unicode, e tecle Ctrl+c para copiar. No Inkscape com a ferramenta de texto selecionada e ativa no documento tecle Ctrl+v para colar. Pronto, o ícone esta disponível no seu documento. Simples assim.
Agora você pode realizar as alterações que desejar no ícone.



Aproveite e visite a playlist de vídeos sobre Inkscape




Removendo objetos de uma foto com o Gimp

Transcrição do vídeo: Removendo Objetos de uma foto
Duração: 02:53



Além dos filtros que o Gimp já traz na instalação padrão existem diversos outros que podem instalados.

Um dos pacotes de filtros ou plugins mais conhecidos e úteis é o Registry, para instalar no ubuntu e derivados basta digitar:
sudo apt-get install gimp-plugin-registry

Depois de instalado se você der uma olhada no Menu Filtros vai perceber que agora existem bem mais opções.

No vídeo de hoje vamos conhecer um plugin muito útil chamado Heal Selection Tool, atráves desse plugin podemos remover facilmente objetos, pessoas ou partes indesejadas de uma foto. Ele funciona como um carimbo automático e turbinado.



Link das imagens usadas:
Criança:

Para trabalhar com o Heal Selection devemos selecionar a área que desejamos remover, nos exemplos a seguir estarei usando o Laço, mas você pode usar qualquer outra ferramenta de seleção.
Uma coisa que deve ficar bem clara, o plugin remove objetos e compensa completando o espaço deixado por esses objetos. O ideal  é que o fundo a ser removido seja um padrão aleatório, tipo um céu, areia, terra, vegetação. Usar o plugin em uma parede de tijolos por exemplo é uma péssima idéia.

Vamos imaginar que nessa imagem não queremos a presença da concha. Para removê-la vamos selecioná-la, o plugin que vamos usar se encontra no Menu Filtros -> opção Realçar -> Heal Selection Tool.
Ao clicarmos um diálogo surge e nele temos 3 opções de configuração. As opções padrão resolvem muito bem a maioria dos problemas.

Na opção Context sampling widht é definida em pixels a largura da amostra em volta da seleção que deve ser usada como preenchimento.

Sample From, especifica de onde vem essa amostra, podendo ser dos lados, abaixo e acima e ao redor de tudo, que por sinal é a opção padrão.

Por último a opção Filling order, que determina a ordem de preenchimento que pode ser aleatória, de fora para dentro da seleção ou de dentro para fora da seleção.

Agora clique no botão Ok, para aplicar o efeito.
Vale lembrar que para que o efeito funcione bem, dependemos do cenário da imagem, da qualidade do arquivo e da seleção feita, que dependendo da situação, deve ser mais próxima ou distante do objeto.

Em todos os exemplos foram usados os padrões de configuração da ferramenta, o que muda é a proximidade da seleção em relação ao objeto.

A Heal Selection também é muito útil para limpar manchas ou elementos em cartazes ou ilustrações, ela vai ser mais rápida e eficiente que o carimbo.






Editor de paleta de cores Gpick


Continuando o estudo das cores neste post vamos apresentar uma ferramenta para capturar cores, o Gpick. Confira os artigos anterios nos links abaixo.

  1. Um pouco de cor - início dos estudos
  2. Emoção em cores

Gpick é um Color Picker(selecionador de cores), além de um editor de paletas de cores. Ele permite a exportação para diversos formatos inclusive esquema de cor em css

O Gpick também pode ser usado a partir de outros programas de editoração gráfica através do uso de linha de comando.

Link do site: http://www.gpick.org/

A documentação do programa inclui apenas uma lista com atalhos e suas funções, porém não descreve seu uso.

Link para documentação: http://www.gpick.org/help.html



Uma visão da tela do Gpick

Para iniciar o processo de captura de cores basta teclar Ctrl+p e ao passar o mouse em qualquer lugar da tela, você verá na janela de preview de cores do Gpick um zoom do local para ajudar a pegar a cor certa. Quando estiver no local correto basta teclar na Barra de Espaço para capturar a cor. Observe que a cor capturada aprece no painel ao lado seguido do código hexadecimal e seu nome.

Para terminar o processo de captura basta clicar em qualquer lugar. Podemos então exportar o esquema teclando Ctrl+e ou clicando no Menu File opção Export. No diálogo um nome ao seu esquema e observe que a opção padrão de arquivo é o gpl.
Para usar no Inkscape por exemplo você pode copiar o arquivo salvo e colá-lo em .config/inkscape/palettes, abra o reinicie o Inkscape e na seleção da paleta de cores procure pelo seu esquema, o nosso foi chamada de "teste-de-esquema-de-cor" clique sobre ele para mudar a Barra de Cores do Inkscape.

Em breve um vídeo trará maiores detalhes e usos do Gpick.